Terça-feira, 26 de Agosto de 2008

Mas... mas... ist... Se não é a coisa mais estúpida que já ouvi, a outra estava distraído

  

Descobri o que considero ser a medida merecedora do prémio da Burocracia Mais Estúpida Que Portugal Consegue Inventar. Explico.
Imagine que você é operado/a (era tão mais prático quando se podia usar aquele masculino genérico e sem complexos mas enfim) e ficava 61 dias de baixa. Ao 62º dia o médico dá-lhe alta e vai trabalhar, certo? Errado. Fica em casa à espera de ser chamada/o (agora, à cautela, inverti os sexos - salvo seja) para uma Junta Médica. Quanto tempo? Actualmente estão a demorar até 3 meses mas como em Agosto estão de férias (em Portugal as Juntas Médicas fazem férias em Agosto...!) não se sabe muito bem.
 
Percebeu alguma coisa? Vou dizê-lo de outra maneira. O seu médico/a sua médica dizem que você pode ir trabalhar, produzir, deixar de ser pago pelo estado. Mas há uns senhores que não confiam na sua médica/no seu médico e que dizem, não senhor(a), você vai ficar quietinho/a em casa até nós termos tempo para verificar se essa baixa de 61 dias se justificava ou não. Mas estão contínuo de baixa? Não. Então? Dá faltas que são justificadas pela junta médica. Mas assim eu deixo de custar dinheiro à Segurança Social para passar a custar à entidade patronal, para a qual não vou estar a produzir porque embora esteja apto a trabalhar não posso ir trabalhar enquanto os Senhores da Junta Médica não decidirem se a minha baixa se justificava ou não, mesmo que seja já absolutamente indiferente porque mesmo que fosse fraudulenta já tinha passado, é isso? Sim.
 
Sim, é isso. Sem ir a junta médica não se pode voltar a trabalhar, por mais que se queira. Eis uma das formas mais eficazes que eu já vi para promover a produtividade.
Mas serve para combater as baixas fraudulentas, ouço uns perguntar, outros afirmar (ah, não, era só um engenheiro). Claro que não, essas nunca são superiores a 60 dias. Para evitar a junta médica, interrompem por 1 dia (para isso servem as férias) e retomam um novo ciclo de 60 dias a seguir, pois se os senhores já não têm mãos a medir para avaliar quem quer ir trabalhar, quanto mais para perder tempo com quem não quer...
 
É demasiado mau para ser verdade. Mas é. Mas se há post em que gostava que alguém me chamasse estúpido e me explicasse que há uma lógica lógica por trás disto é este.
 
__________________________________________________________

publicado por joao moreira de sá às 06:33
linque do post | Ir ao Confessionário | Ler confissões ou rezar o Terço (3) | favorito
|
Terça-feira, 22 de Julho de 2008

Ó senhores das prevenções, ninguém começa a fumar comprando um maço de cigarros.

  

De todas as mensagens mais ou menos absurdas e pouco eficazes que colocam nos maços de tabaco, aquela que diz "Fumar causa elevada dependência. Não comece a fumar" é a que me faz mais confusão. Então, se a pessoa não tivesse já exactamente o intuito de o fumar para que compraria o tabaco?
Não é assim. Eu acho que não é assim que a coisa funciona.
 
___________________________________________________________

publicado por joao moreira de sá às 08:02
linque do post | Ir ao Confessionário | Ler confissões ou rezar o Terço (5) | favorito
|
Sábado, 28 de Junho de 2008

ADSE ou como o excesso de machismo afecta os homens

 
Eu presumo que esta peregrina lei seja pré-25/4 e penso que reflecte bem como um pensamento orientado para uma sociedade onde o homem trabalha e a mulher trata da casa, não sendo mudada (porque convêm?), acaba, em pleno século XXI (é melhor escrever século 21 não vão os putos pensar que XXI é linguagem SMS) por ser mais prejudicial ao homem de tão machista que é.
 
Se não sabia, fique a saber caro leitor que aqui veio ler estas linhas, que – reportando-me ao ano de 1998 em que me casei, mas ao que sei nada mudou – se o Homem for beneficiário da ADSE, ao casar, a mulher adquire o direito de beneficiar da ADSE, mas!, se, como no meu caso, a Mulher for beneficiária da ADSE, o homem não tem esse direito (apenas os filhos). Como na altura isto me irritou (hoje já não irrita tanto visto já quase não haver Sistema Nacional de Saúde quer para ADSE quer para Caixa de Previdência, ou Regime Geral ou lá como se chama a coisa para que se desconta para se ter o privilégio de poder pagar taxas moderadoras, consultas, internamentos, etc.), indaguei e aparentemente tal deve-se “historicamente” ao facto de que... não era necessário estar na lei que os homens pudessem passar a beneficiar de ADSE porque a situação não se punha. Acontece que se passou a por e este excesso de machismo e retrogradismo virou o “feitiço contra o feiticeiro”. E é uma situação muito, muito estúpida. Mas dá muito jeito ao estado não mexer...
 
___________________________________________________________

publicado por joao moreira de sá às 06:09
linque do post | Ir ao Confessionário | favorito
|
Creative Commons License
Este Blog está licenciado sob uma Licença Creative Commons.



Joao Moreira de Sa

Cria o teu cartão de visita

Twitter
Micro Cuts

Divulga também a tua página

CONTÉM CONTO MEU (já editado Comprar: AQUI
Ocultos Buracos

Promote Your Page Too

VAI CONTER CONTO MEU (pelo Natal, mas experimentem clicar na capa)




Blogue para Contactos Profissionais

Outras escritas

Quem???

Uma mente delirante e não muito normal encerrada num corpo com 44 anos (embora um teste da Sábado diga que na realidade tenho 47... já estive mais longe, tenho que repetir o teste). Presentemente desempregado mas com boas perspectivas de conseguir vir a trabalhar num call-center. Escrevo porque não gosto lá muito de falar e como irresponsável que sou, acredito que um dia ainda irei conseguir ser pago para escrever, o que já vai demorando um bocado...
jmoreiradesa@gmail.com

pesquisar neste belogue

 

Arquivos da Cantuária

tágues

todas as tags

subscrever feeds



Péssimos clips de humor na
TV Arcebispo

revista Única/Expresso


revista Nós/jornal i


Nuno Markl in Única/Expresso
Há gente com graça na Internet?

Imensa. O arcebispo de Cantuária. É um tipo com um site magnífico com trocadilhos. Dos mais refinados que eu vi em toda a minha vida.

arcebispo no programa "As Tardes da Júlia", TVI, 01.07.09.




jornal i "Blogues das mamãs. São mais que as mães e servem para tudo"

"Os (arcebispais) Incorrigíveis"

Arcebispo de Cantuária 17º Melhor Blog Português de 2007

Porque nem só de trocadilhos vive um Arcebispo:

Manjares do Arcebispo" (2ª edição disponível em paperback 11.35€ e e-book download 2,50€)



COMPRAR ONLINE: BUBOK





MAIS INFORMÇÃO