Terça-feira, 13 de Novembro de 2007

Opinião #68

 
Dizem-me que não votando não posso reclamar. Discordo. Não voto como no livro do Saramago, na esperança de que um dia toda a gente tenha vergonha de chamar democracia ao dar poder a um imoral para gastar quase 200 mil euros em pópós novos com o dinheiro dos meus impostos, sem que eu nada possa fazer e consequência nenhuma lhe advenha de tal esbanjamento de dinheiros públicos e atentado à moral pública. Não esquecendo os dignos antecedentes macaístas do indigno ministro da (in)justiça.
Enquanto forem destes, eu não voto. Em autogestão safávamo-nos melhor.
 

publicado por joao moreira de sá às 09:17
linque do post | Ir ao Confessionário | favorito
1 comentário:
De Eduardo Ramos a 13 de Novembro de 2007 às 12:43
... gostaria de saber o que Bruxelas diria se visse 60% de votos em branco... no lugar de abstenções.

Acho que é a gesto de revolta ideal para a maioria dos Portugueses que adoram o anonimato pois ainda têm o MEDO Salazarista enraizado debaixo da pele.
" É revoltante. Eu ia lá e partia tudo... mas gora não... estou ocupado com... coisas."


Comentar post

Outras escritas

Quem???

Uma mente delirante e não muito normal encerrada num corpo com 44 anos (embora um teste da Sábado diga que na realidade tenho 47... já estive mais longe, tenho que repetir o teste). Presentemente desempregado mas com boas perspectivas de conseguir vir a trabalhar num call-center. Escrevo porque não gosto lá muito de falar e como irresponsável que sou, acredito que um dia ainda irei conseguir ser pago para escrever, o que já vai demorando um bocado...
jmoreiradesa@gmail.com

pesquisar neste belogue

 

Arquivos da Cantuária

tágues

todas as tags

subscrever feeds

Porque nem só de trocadilhos vive um Arcebispo:

Manjares do Arcebispo" (2ª edição disponível em paperback 11.35€ e e-book download 2,50€)



COMPRAR ONLINE: BUBOK





MAIS INFORMÇÃO