Domingo, 11 de Janeiro de 2009

PNEThumor - envio de textos (à laia de what-da-FAQ)

 

 

Posso enviar textos para o PNEThumor?
Mas isso é pergunta que se faça? Ah, é, por isso é que perguntou. Peço desculpa. Nesse caso pode, claro que pode. Não só pode como deve, o que sendo um cliché é muito verdade porque se não fosse para enviar não teria perguntado.
 
Como?
Mas isso nem se pergunta. Por email, claro! Para pnethumor@gmail.com, de preferência no próprio corpo do email evitando anexos sempre que possível. 
 
Quais?
Mas que pergunta! Nós é que sabemos? Quais, é lá com quem escreve e envia, a forma e conteúdos são totalmente livres, qualquer regra seria limitativa da criatividade. Idealmente, por uma questão de publicação, não deverão exceder os 3.000 caracteres.
Os textos serão publicados com menção ao autor e com os dados pessoais (e relativos ao texto no caso de não se tratar de um original) que nos sejam enviados.
Os critérios de aprovação para publicação baseiam-se na média da nota técnica (ser texto de ou com humor ajuda muito, um obituário poderá ter dificuldades) e nota artística (critério editorial incoerente, arbitrário e democrático do PNEThumor).
 
Posso ilustrar o texto com uma imagem?
Estava mesmo à espera de ouvir os outros aparecerem... “ai que paniiiisgas, quer ilustrar o texto”, mas não... Pronto, está bem. Mas desde que seja só uma e não enviem a imagem, só o linque.
 
Como é com direitos de autor e isso?
Nós é que sabemos? Plágios serão de (i)responsabilidade de quem os pratique. Em textos previamente publicados será referida a fonte sempre que no seja indicada. Textos que sejam originalmente publicados no PNEThumor poderão ser usados noutros locais (blogues, etc.) e suportes (papel, etc.), desde que, “quid pro quo”, feita referência à publicação original no PNEThumor.

 

Sendo as contribuições voluntárias, não existe qualquer cedência formal de direitos de autor. A estes, autores, apenas se pede como contrapartida, a divulgação do espaço PNEThumor.
 

 

tágues: ,

publicado por joao moreira de sá às 07:54
linque do post | Ir ao Confessionário | favorito
1 comentário:
De mdsol a 11 de Janeiro de 2009 às 15:47
Ore Senhor Arcebispo, ore. E ore muito e com muita fé! Para que eu não tenha uma maleita tipo constipação forte ou assim, que me retenha em casa com algumas (as que tenho..) capacidades a funcionar... Vá que me veja com tempo e sem poder (ou com desculpa para não) fazer o que DEVO e me dê na telha para me armar em... sei lá... nem me auto-adjectivo, que nem há palavras!

:)))


Comentar post

Outras escritas

Quem???

Uma mente delirante e não muito normal encerrada num corpo com 44 anos (embora um teste da Sábado diga que na realidade tenho 47... já estive mais longe, tenho que repetir o teste). Presentemente desempregado mas com boas perspectivas de conseguir vir a trabalhar num call-center. Escrevo porque não gosto lá muito de falar e como irresponsável que sou, acredito que um dia ainda irei conseguir ser pago para escrever, o que já vai demorando um bocado...
jmoreiradesa@gmail.com

pesquisar neste belogue

 

Arquivos da Cantuária

tágues

todas as tags

subscrever feeds

Porque nem só de trocadilhos vive um Arcebispo:

Manjares do Arcebispo" (2ª edição disponível em paperback 11.35€ e e-book download 2,50€)



COMPRAR ONLINE: BUBOK





MAIS INFORMÇÃO